Universidades debatem filmes da Mostra

1LAST CALL 21_CALIFORNIA WATER MARCH

“A crise global da água”

No mês de outubro, a 2ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental percorre 17 cidades no estado de São Paulo, exibindo filmes de diversas nacionalidades que abordam temáticas variadas sobre água, cidades, contaminação, economia, globalização, mobilização e povos e lugares.

Em vários espaços serão promovidos debates após a exibição de algumas produções, proporcionando oportunidade de conferir filmes que reúnem qualidade cinematográfica e análise de questões ambientais e facilitando o acesso a discussões que muitas vezes fazem parte do cotidiano das pessoas sem que elas tenham oportunidade de refletir sobre isso.

Em Piracicaba, participam dos debates a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP), a Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep) e o Sesc Piracicaba. Na cidade de Santos, promovem debate a Universidade Católica Unisantos, a Unimonte, a Universidade Santa Cecília (Unisanta) e o Sesc Santos. Em Bauru, os debates acontecem na Unesp e no Sesc Bauru,

O filme Roubando dos pobres aborda como a pirataria na costa africana, promovida por frotas de pesca europeias e asiáticas, devasta todas as formas de vida no oceano ao pescar ilegalmente nas águas territoriais daqueles países, privando os africanos de seu meio de subsistência.

Roubando dos Pobres

Cena de “Roubando dos Pobres”

A agricultura geneticamente modificada promovida pelas grandes corporações mundiais e seus efeitos sobre a agricultura familiar, vista pelo prisma de uma região na índia onde há uma onda de suicídios entre fazendeiros que não conseguem manter suas terras e suprir as necessidades de suas famílias. Grandes empresas cada vez mais controlam a produção de alimentos desde a semente, implantando processos de agricultura geneticamente modificada pelo mundo. O impacto disso na vida das famílias que ainda vivem da agricultura familiar, seja para venda ou para suprir as necessidades da família, é violento.

Trashed, produção do Reino Unido de 2012, aborda o lixo gerado pela humanidade, sua destinação e seus efeitos sobre o meio ambiente e a saúde das pessoas. Para onde vai nosso lixo? Parece mágica, acomodamos o lixo em sacos plásticos, deixamos na porta e ele é recolhido pelos garis e some de nossas vistas. Mas para onde ele vai de verdade? As cidades têm que pagar para transportar e armazenar seu lixo cada vez mais longe. Países desenvolvidos exportam seu lixo para países em desenvolvimento. A Alemanha em alguns anos reduziu em até 15% seu lixo domiciliar e comercial com a incineração, possibilidade que vem sendo cogitada no Brasil em alguns municípios. Não há unanimidade e alguns especialistas apontam riscos.

Trashed

Jeremy Irons em “Trashed”

A água, recurso cada vez mais escasso, e sua privatização por grandes corporações multinacionais que, aos poucos, se deparam com um movimento para trazer de volta a gestão das águas às mãos dos cidadãos, é o argumento do filme Quem controla a água?, produção franco alemã de 2010. Os defeitos do atual sistema de abastecimento de água e as comunidades que já enfrentam seus efeitos colaterais são temas abordados em A crise global da água, produção americana de 2011.

O filme Petróleo: o grande vício, produção franco americana de 2011, mostra os bastidores do pior vazamento de petróleo da história, causado pela Deepwater Horizon. Ao expor as causas do vazamento de óleo e o que realmente aconteceu depois que as câmeras de televisão deixaram a região, os cineastas Josh e Rebecca Tickell revelam uma vasta rede de corrupção.

Produção brasileira de 2011, o filme A cidade é uma só traz uma reflexão sobre os 50 anos de Brasília, tendo como foco o processo permanente de exclusão territorial e social que parcela considerável da população do Distrito Federal e do entorno sofre, e como essas pessoas restabelecem a ordem social através do cotidiano. O ponto de partida dessa reflexão é a Campanha de Erradicação de Invasões (CEI), que em 1971 removeu barracos que ocupavam os arredores de uma então jovem Brasília.

Criada em 2012 com o objetivo de chamar a atenção para questões de meio ambiente, sustentabilidade, cidadania, governança, participação e políticas públicas, a Mostra oferece oportunidade de conferir filmes que reúnem qualidade cinematográfica e análise de questões ambientais, facilitando o acesso a discussões que muitas vezes fazem parte do cotidiano das pessoas sem que elas tenham oportunidade de refletir sobre isso.

A cidade é uma só

“A cidade é uma só”

2a Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental – Itinerância é uma realização da ONG Ecofalante e do Sesc, e conta com apresentação da Mondelēz e patrocínio do Instituto Votorantim e White Martins. O projeto é realizado com apoio do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura, Programa de Ação Cultural 2012.

Para saber mais sobre os filmes e os outros locais que participam da Mostra, clique aqui: http://www.ecofalante.org.br/mostra/

Advertisements