Rios perdidos

Cena de "Rios perdidos"

Cena de “Rios perdidos”

Andar por vias de grandes cidades como São Paulo significa invariavelmente caminhar por cima de cursos de rios tamponados. Grandes avenidas como a 9 de Julho (rios Saracura e Iguatemi), Pacaembu (rio Pacaembu) e Sumaré (rio Sumaré) encobrem os rios da cidade e impedem nosso contato com eles.

Desde que os rios começaram a ser associados a doenças por causa da poluição e do despejo de esgoto em suas águas, grandes cidades de todo o mundo usaram como solução a canalização e o tamponamento. E a população dos centros urbanos foi privada do contato com os cursos d´água.

O filme “Rios perdidos”, produção canadense de 2012, leva o espectador a uma aventura por baixo da terra e através do mundo, redescobrindo a história desses rios urbanos perdidos ao mergulhar em mapas de arquivos e indo ao subterrâneo com exploradores urbanos clandestinos.

Em São Paulo, o grupo Rios e Ruas vem promovendo a redescoberta dos rios da cidade. Sob o asfalto existe uma verdadeira malha hidroviária, e bastam fortes chuvas para fazê-la aflorar. A cidade possui mais de 300 rios. “Não há nada mais difícil do que matar um rio.Ele pode estar doente,sujo,escondido;mas morto, nunca. Se a gente conseguir com que a população perceba isso e passe a interagir com eles, esta relação muda”, defende o geógrafo Luiz de Campos Junior, coordenador do projeto Rios e Ruas, que realiza expedições pelos rios escondidos de São Paulo. Os passeios são a pé ou de bicicleta.[i]

Em algumas grandes cidades do mundo, no entanto, vem acontecendo um movimento no sentido de reintegrar os rios. É o caso do canal de Cheonggyecheon, em Seul, transformado em parque público.

Cheonggyecheon-1

2a Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental – Itinerância   acontece de 01/10 a 03/11 em 17 cidades do estado de São Paulo, e é uma realização da ONG Ecofalante e do Sesc, e conta com apresentação da Mondelēz e patrocínio do Instituto Votorantim e White Martins. O projeto é realizado com apoio do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura, Programa de Ação Cultural 2012.

A programação, gratuita, está disponível no site da Mostra. Para acompanhar de perto os bastidores e outras informações, fique de olho no facebook e no twitter.

Advertisements