Mostra Contemporânea traz 37 filmes de diversos países

A 3ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental traz para o público produções recentes que se destacaram em importantes festivais mundiais como Cannes, Berlim, Veneza, Roterdã, Locarno, Sundance, dente outros. São 37 filmes, classificados em cinco eixos temáticos:

Cidades

Cena de "A Escala Humana"

Cena de “A Escala Humana”

As cidades são cada vez mais caracterizadas pela quase inexistência de locais de encontro e por uma especulação que expulsa parcelas inteiras de seus habitantes para locais distantes, promovendo a gentrificação dos centros. Os filmes refletem os efeitos desta lógica de transformação e eliminação das singularidades de cada cidade em nome do capital mundial, um modelo que dá sinais de exaustão mas continua sendo implementado pelo mundo.

 

 

Campo

Cena do filme "Vozes da Transição"

Cena do filme “Vozes da Transição”

A chamada Revolução Verde, que propiciou a produção da monocultura em larga escala e o surgimento dos transgênicos, vem nos cobrando um alto preço. O sacrifício da agricultura familiar e orgânica, danos à saúde do homem e do meio ambiente, a exaustão dos solos. Em todo o mundo, no entanto, há sinais de que uma outra lógica é possível, com a reconexão do homem com os ritmos e as demandas da natureza.

 

 

Economia

Cena de "Blackfish - Fúria Animal"

Cena de “Blackfish – Fúria Animal”

Os filmes desta temática trazem questões que, embora não sejam novidade para os que trabalham ou possuem interesse em recursos naturais, direitos humanos e proteção animal, ficam adormecidas no pensamento das pessoas. Tratam das relações de dominação que o homem é capaz de manter com a natureza, outras espécies ou, ainda, seres da mesma espécie, despertando reflexões sobre o modo de produção e consumo da sociedade moderna.

 

 

Energia

Cena de "Terra a Esperança"

Cena de “Terra a Esperança”

A energia está nos centros dos esforços para conter a mudança climática e o aquecimento global. Há os que defendam o uso da matriz nuclear como a opção para mudar este quadro, enquanto acidentes nucleares continuam a acontecer no mundo espalhando sob nós uma contaminação cujos efeitos ao homem e ao meio ambiente ainda não são totalmente conhecidos. Os filmes da temática refletem ainda a falta de energia que aflige grande parte do mundo e a promessa da bateria de lítio como alavanca para as energias alternativas.

 

 

Povos e lugares

Cena de "Vila no Fim do Mundo"

Cena de “Vila no Fim do Mundo”

As diferentes formas de interpretar e significar o mundo em que vivemos, que se refletem na cosmogonia das diferentes culturas, estão presentes nos filmes desta temática. Na Groenlândia, no Ártico, nas florestas do Congo, no Camboja, o homem reage às alterações que ele inflige à natureza, ou que a natureza inflige a ele, não sem passar por dilemas e sofrimento.

 

 

 

Os filmes serão exibidos no Reserva Cultural, no Cine Livraria Cultura, no Museu da Imagem e do Som (MIS), no Centro Cultural São Paulo, Cine Olido,Cinusp Maria Antônia e Matilha Cultural.

A realização da 3ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental é possível graças ao apoio do Governo do Estado de São Paulo – Secretaria de Estado da Cultura, Programa de Ação Cultural 2013, através do qual patrocinam o projeto a Eaton e White Martins. O evento conta com apoio do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Programa de Pós-Gradução em Ciência Ambiental da USP (Procam), Instituto de Estudos Avançados da USP, Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP, Centro Universitário Maria Antônia, Cinusp, Secretaria Municipal de Cultura, Centro Cultural São Paulo, Galeria Olido, Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas, Rede Nossa São Paulo, Instituto Pólis, Instituto Pepsico, Instituto Akatu, Matilha Cultural, Le Monde Diplomatique Brasil, Revista Piauí, Instituto Envolverde, Rádio Eldorado, Rádio Estadão e Catraca Livre.

Advertisements