Nuclear

O uso da energia nuclear como matriz energética divide opiniões pelo mundo. Vários filmes da 3ª Mostra de Cinema Ambiental abordam esta questão sob diferentes prismas, a começar por filmes do Panorama Histórico, do japonês Kaneto Shindo, ainda na década de 1950, indo até produções mais recentes, ligadas ao acidente de Fukushima.

De Kaneto Shindo serão exibidos os filmes Filhos de Hiroshima (1952) – que mostra o retorno da jovem Takako, que volta à sua cidade natal e enfrenta os efeitos da bomba atômica quando viala para reencontrar velhos amigos; e Dragão Felizardo nº 5 (1959) – que aborda a tripulação de um navio pesqueiro que sofre com a contaminação radioativa após os testes nucleares dos EUA no Atol de Bikini, em 1954.

Cena de "Dragão Felizardo n.5", de Kaneto Shindo

Cena de “Dragão Felizardo n.5”, de Kaneto Shindo

Na Mostra Contemporânea, seis filmes abordam o tema. No eixo temático energia, o filme Fukushima: um Registro de Coisas Vivas (Japão, 2013) mostra como as substâncias radioativas do desastre de Fukushima afetam os animais nas áreas contaminadas. O filme Metamorphosen (Alemanha, 2013) aborda a história de pessoas estabelecidas na região Ural da Rússia, um dos lugares mais contaminados por radiação do Planeta. A região foi irradiada por diferentes acidentes da instalação nuclear de Mayak, primeira a produzir material físsil para armas nucleares na União Soviética. O diretor de Metamorphosen, Sebastian Mez, estará em São Paulo participando de debate sobre o tema no dia 22 de março.

No polêmico Promessa de Pandora (EUA, 2013), o ex-crítico da energia nuclear e documentarista Robert Stone examina algumas das crenças generalizadas sobre os perigos da energia nuclear. Em Jornada ao Local mais Seguro da Terra (Suíça, 2013), o internacionalmente renomado físico nuclear suíço Charles McCombie e alguns de seus aliados mais importantes fornecem ao diretor Edgar Hagen um panorama de sua luta persistente para encontrar o lugar mais seguro da Terra para armazenar resíduos nucleares, a fim de resolver esse grave dilema.

Cena de "Terra a Esperança"

Cena de “Terra a Esperança”

Em Terra da Esperança, ficção japonesa de 2012 inspirada no desastre de Fukushima, uma família que vive numa típica vila do Japão tem sua vida alterada por um terremoto que causa a explosão de uma usina nuclear próxima.

No eixo temático Campo, o filme Somos Todos Cobaias? (França, 2012) faz um paralelo entre os organismos geneticamente modificados e a energia nuclear, colocando as seguintes questões: Como é possível que os transgênicos agrícolas estejam nos campos e nos pratos quando eles foram testados por apenas três meses em ratos? Como é possível que a energia nuclear ainda seja a energia do futuro quando já vivenciamos Chernobyl e Fukushima?

Cena de "Somos todos cobaias?"

Cena de “Somos todos cobaias?”

Os filmes serão exibidos no Reserva Cultural, no Cine Livraria Cultura, no Museu da Imagem e do Som (MIS), no Centro Cultural São Paulo, Cine Olido,Cinusp Maria Antônia e Matilha Cultural.

A realização da 3ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental é possível graças ao apoio do Governo do Estado de São Paulo – Secretaria de Estado da Cultura, Programa de Ação Cultural 2013, através do qual patrocinam o projeto a Eaton e White Martins. O evento conta com apoio do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Programa de Pós-Gradução em Ciência Ambiental da USP (Procam), Instituto de Estudos Avançados da USP, Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP, Centro Universitário Maria Antônia, Cinusp, Secretaria Municipal de Cultura, Centro Cultural São Paulo, Galeria Olido, Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas, Rede Nossa São Paulo, Instituto Pólis, Instituto Pepsico, Instituto Akatu, Matilha Cultural, Le Monde Diplomatique Brasil, Revista Piauí, Instituto Envolverde, Rádio Eldorado, Rádio Estadão e Catraca Livre.

Advertisements