FILMES DA MOSTRA ECOFALANTE DE CINEMA AMBIENTAL VOLTAM A SER EXIBIDOS NA CAPITAL PAULISTA

Itinerância 2015 da Mostra Ecofalante, correalização com o Sesc-SP, exibe 13 filmes em oito unidades na capital

De 12 a 27 de setembro os paulistanos poderão rever alguns dos filmes exibidos na 4ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental. A Itinerância 2015 da Mostra – que acontece em 12 cidades do Estado de São Paulo – promove, na cidade de São Paulo, a exibição de 13 filmes em oito unidades do Sesc e outros espaços. Dentre os temas abordados estão mudanças climáticas, biodiversidade, recursos naturais, cidades, consumo etc.

Além dos filmes, todas as unidades do Sesc participantes da Itinerância promoverão atividades correlatas, ampliando a experiência e a reflexão do público sobre temas socioambientais. São vivências, debates, intervenções, rodas de diálogo, trilhas, dentre outras programações. As sessões acontecem nas unidades Campo Limpo, Consolação, Interlagos, Ipiranga, Itaquera, Pinheiros, Santo Amaro e Vila Mariana.

Dentre os filmes sobre biodiversidade exibidos estão Era uma vez uma floresta (França, 2013), que fornece uma completa imersão sensorial convocando o público a entrar, descobrir e se maravilhar com uma floresta tropical crescendo diante de seus olhos; e O Semeador (Canadá, 2013), que mostra um artista preservando raros e esquecidos cultivares com objetivo de criação de ‘heranças do futuro’, transformado seus pequenos armazéns de sementes em milhares de horas ao redor do mundo.

Favelas: As Cidades do Amanhã observa, por meio de uma perspectiva sociológica e filosófica, estruturas construídas em uma escala humana e proporciona um olhar íntimo em seus habitantes, e leva o público a uma viagem pelos continentes: Mumbai, Índia (onde se localiza a maior favela da Ásia); Rabat, Marrocos (no que antes foi uma fértil área agrícola); uma ocupação em Lakewood, New Jersey; Marselha, França (um bairro de trailers) e a uma comunidade nativa em Quebec, Canadá.

inde-bangalore-5151

Dois filmes sobre consumo serão exibidos: A Tragédia do Lixo Eletrônico (EUA, 2014), que nos leva a uma viagem investigativa pela Europa, China, África e EUA e revela um comércio global tóxico desencadeado pelo descarte ilegal de lixo eletrônico (75% do lixo eletrônico gerado pelo chamado mundo desenvolvido desaparece do circuito de reciclagem, sendo em grande parte jogado fora ilegalmente no Terceiro Mundo); e O Experimento Humano (EUA, 2013), que é produzido e narrado por Sean Penn e conta histórias de pessoas que acreditam que suas vidas foram afetadas por produtos químicos e revela que milhares de produtos químicos não testados estão em nosso produtos de uso diário, em nossas casas e dentro de nós.

O filme Felicidade (França/Finlândia, 2013) ilumina o momento complexo no qual um modo de vida tradicional se desvanece na sedução da tecnologia ao mostrar a história de Peyangki, um garoto monge que vive em Laya, vila butanesa nos Himalaias, que assiste à chegada de cabos elétricos e estradas à sua vila. Em Thule Tuvalu (Suíça, 2014), dois lugares extremos de nosso planeta sofrem as consequências das mudanças climáticas: Thule, na Groenlândia, com recordes de degelo, e Thuvalu, ilha-nação no Pacífico que está afundando devido ao aumento do nível do mar.

Marmato (EUA/Colômbia, 2014) narra como os moderadores da cidade de mesmo nome enfrentam a destruição e confrontam uma mineradora canadense que quer 20 bilhões de dólares em ouro sob suas casas. H2Omx (México, 2013) propõe uma questão: pode uma megacidade mobilizar seus 22 milhões de cidadãos para tornar seu consumo de água sustentável? A Cidade do México foi construída no meio de um lago, e para abastecê-la de água fresca torna-se necessário trazer o recurso de outros estados. O filme é um caso de estudo ambiental do Vale do México em sua luta para salvar a si mesmo enquanto sua população cresce.

Trashed: para onde vai o nosso lixo? (Reino Unido, 2012) olha para os riscos causados pelo lixo para a cadeia alimentar e o meio ambiente por meio da poluição do ar, terra e mar. É uma conversa global, da Islândia à Indonésia, entre o astro de cinema Jeremy Irons e cientistas, políticos e pessoas comuns, cuja saúde e meios de subsistência foram fundamentalmente afetados pela polução de resíduos.

Três filmes brasileiros integram a Itinerância na capital: Brasil S/A (2014), que traz reflexão sobre aspectos socioambientais contemporâneos e promove bastante experimentação de linguagem; O Veneno Está na Mesa 2 (2014) enfoca a existência de alternativas viáveis de produção de alimentos saudáveis que respeitam a natureza, os trabalhadores rurais e os consumidores; Pandemonium (2010), filme do cineasta Jorge Bodanzky, investiga os impactos das mudanças climáticas e os novos desafios na área energética a partir de diagnósticos apresentados por dois dos maiores especialistas brasileiros, Carlos Nobre e Rogério Cézar de Cerqueira Leite.

A Itinerância 2015 da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental é uma realização da Ecofalante e do Sesc São Paulo, com apoio da White Martins e do Reciclo Pepsico e apoio institucional do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Le Monde Diplomatique Brasil, Instituto Envolverde, Catraca Livre, Rádio Eldorado, Rádio Estadão, Revista Piauí, Procam/USP, Instituto Akatu, Rede Nossa São Paulo, Instituto Pólis, ProAC e Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

Programação completa nos sites ecofalante.org.br/mostra e sescsp.org.br/ecofalante

Advertisements