Jorge Bodanzky volta a participar da Mostra Ecofalante como júri da Competição Latina

O cineasta será um dos três jurados da competição, que premia os melhores filmes latinos de temática socioambiental

O fotógrafo e diretor brasileiro Jorge Bodanzky participa esse ano da 5ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental como integrante do júri que irá avaliar e premiar o melhor longa metragem e o melhor curta latino-americanos. “É uma oportunidade de ver e conhecer filmes com os quais normalmente não temos contato. Pela temática ambiental e por serem latinos, eles dificilmente chegam ao Brasil”, conta Bodanzky. “Me sinto feliz, também, em poder retribuir, ajudar esse projeto, e continuar a colaborar com o trabalho feito pela Ecofalante”, acrescenta.

No ano passado Bodanzky foi homenageado pela Mostra Ecofalante, que exibiu uma retrospectiva de seu trabalho e realizou a pré-estreia de seu filme No Meio do Rio, Entre as Árvores. “Não podia ter sido um momento mais feliz e lugar melhor para fazer a pré-estreia. Ajudou muito na divulgação, tendo o catálogo da Mostra bem apresentado e completo. O filme depois percorreu cinemas do Brasil inteiro, e grande parte desse sucesso, eu acredito, foi devido a essa estreia na Mostra Ecofalante”.

Outros sete filmes integraram a homenagem, entre eles Iracema – Uma Transa Amazônica, Jari, e seu mais recente, Pandemonium. Para ele, foi um privilégio ter esse programa dentro da Mostra, uma vez que o festival tem tudo a ver com seu trabalho – praticamente todos os seus filmes têm a ver com meio ambiente. Ele conta que desde o início de sua carreira, quando estava na Alemanha, a questão ambiental era importante. “Desde os anos 70, quando fiz Iracema, era um assunto relevante para mim e para meus companheiros. Nós queríamos mostrar a Amazônia com esse viés, já com total consciência da importância da questão ambiental”, relembra.

A preocupação central em seus documentários, segundo ele, é social. Mas, em sua visão, os desafios sociais e os ambientais são indissociáveis. “O cinema é feito para todos, não acho que esses filmes sejam só para aqueles que se preocupam com as questões ambientais. A Mostra Ecofalante é para as pessoas que gostam de ver bons filmes, bons documentários”, avalia.

A Competição Latina da 5ª Mostra Ecofalante exibirá 22 filmes – seis longas e 16 curtas -, da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, México, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela. Os filmes concorrem nas categorias de Melhor Longa-Metragem Pelo Júri (filmes a partir de 60 minutos), Melhor Curta-Metragem Pelo Júri (filmes de até 59 minutos) e Melhor Filme Pelo Público.

A 5ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental é uma realização da ONG Ecofalante, possível graças ao Programa de Apoio à Cultura (ProAC) do Governo do Estado de São Paulo, com patrocínio da White Martins e da Reciclo Pepsico e correalização da Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Paulo e pela Spcine, a Mostra tem apoio institucional do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Embaixada da França no Brasil, Institut Français, La Cinémathéque Française, Le Monde Diplomatique Brasil, Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo, Observatório do Clima, SOS Mata Atlântica, Greenpeace, Instituto Socioambiental (ISA), Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), Instituto Akatu, Instituto de Energia e Ambiente (IEE)/USP, Rede Nossa São Paulo, Instituto Envolverde, Catraca Livre, Rádio Eldorado e Heritage Comfort Inn.

 

Advertisements