Júri da Competição Latina reúne os cineastas Jorge Bodanzky e Regina Jeha e a jornalista Zuzu Souza

Está definido o júri que vai avaliar os 32 filmes inscritos na Competição Latino-Americana da 6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental. O cineasta Jorge Bodanzky retorna como jurado à Mostra, que o homenageou em 2015. Ele é acompanhado pela também cineasta Regina Jeha e pela jornalista Maria Zulmira (Zuzu) de Souza, uma das idealizadoras e primeira apresentadora do Repórter Eco, da TV Cultura.

A Competição Latina exibirá 13 longas e 19 curtas de temática socioambiental de 1º e 14 de junho de 2017. São produções da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, México e Uruguai. Os filmes concorrem nas categorias Melhor Curta e Melhor Longa, escolhidos pelo júri, e Melhor Filme por voto do público.

Conheça mais sobre os jurados:

Jorge Bodanzky é cineasta, roteirista e fotógrafo. Estudou arquitetura na Universidade de Brasília e cinema na Alemanha nos anos 60. Seu primeiro longa-metragem é o clássico “Iracema – uma transa amazônica” (1976), realizado em co-direção com Orlando Senna. O filme foi vetado pela ditadura militar, mas acabou vencendo o Festival de Brasília quando foi lançado no Brasil, em 1980; recentemente, foi eleito um dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema. Bodanzky tem realizado, desde então, filmes que lidam com questões socioambientais. Entre eles, “Terceiro Milênio” (1981), em parceira com Wolf Gauer, que acompanha o cotidiano do senador amazonense Evandro Carreira, e “A Propósito de Tristes Trópicos” (1990), produção francesa que refaz a viagem do antropólogo francês Claude Lévi-Strauss ao Mato Grosso. Ambos foram exibidos na homenagem que Bodansky recebeu da 4ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental. Ele foi também professor de cinema na USP, na Unicamp e na FAAP.

Maria Zulmira de Souza é jornalista com ampla atuação no campo da sustentabilidade. Uma das idealizadoras e primeira apresentadora do Repórter Eco, programa da TV Cultura especializado em meio ambiente, que está no ar desde fevereiro de 1992. É diretora da Planetária Soluções Sustentáveis, que produz conteúdos sobre temáticas socioambientais para plataformas multimídia. Atua como conselheira em iniciativas como Virada Sustentável, Imaflora e Corredor Ecológico do Vale do Paraíba. Mantém o canal Casal Verde no YouTube e o blog de mesmo nome no portal Conexão Planeta.

Regina Jeha se formou na primeira turma de cinema da Escola de Comunicações e Artes da USP. Seu filme de estreia, “Bexiga, Ano Zero”, ganhou os prêmios Carmem Santos e Candango no Festival de Brasília, entre outros. Fez parte da série exibida na TV em 1971, “Brás, Bexiga e Barra Funda”. Realizou documentários na Floresta Amazônica como “Curumins e Cunhantãs” e “Catehe”, e no Pantanal Matogrossense, “A Última Fronteira”.  Após a morte de seu marido, o também cineasta Luiz Sérgio Person, seguiu administrando por 15 anos o espaço teatral criado por eles, o Auditório Augusta. Em 2001 realizou “Por Mares Nunca Dantes Navegados”, filmado em Portugal e na Índia.  Foi curadora de diversas mostras, a mais recente em dezembro de 2016: “Território Expandido Mostra de Documentários”. Está em fase de montagem do seu novo filme “Manifesto”, sobre a vida e a obra do escultor e ativista ecológico Frans Krajcberg.

A 6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental é uma realização da ONG Ecofalante, do Ministério da Cultura, do Governo Federal e da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo. É uma correalização da SPCine e da Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Paulo. Tem patrocínio da Sabesp e da Pepsico, com apoio da Goodyear, White Martins, Guarani – Mais que açúcar e do Instituto Clima e Sociedade. É possível graças à Lei de Incentivo à Cultura e ao Programa de Apoio à Cultura (ProAC).

O júri da Competição Latina: Jorge Bodanzky, Regina Jeha e Zuzu Souza

Advertisements