América Latina urgente!

Estão presentes nesta quarta edição da Competição Latino-Americana um total de 32 produções representando sete países da região: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, México e Uruguai.

Tal seleção destaca algumas das mais significativas produções recentes voltadas às temáticas ambientais assinadas por realizadores latino-americanos. Ela é resultado do crescente interesse despertado por esta competição: em 2017, foram recebidas pelo evento 374 inscrições, um aumento de 66% em relação ao ano anterior.

Contaminação, desastres ambientais, manifestações da natureza, a cultura e a luta de povos originários, questões da terra e do trabalho, os conflitos e as contradições urbanas, mudanças climáticas, a crise hídrica – estes são parte dos temas dos filmes que compõem a programação. Uma demonstração indubitável das semelhanças existentes nas sociedades da América Latina no que tange aos problemas e desafios a serem por elas enfrentados. Já as abordagens estéticas e narrativas utilizadas não poderiam ser mais diversas. Vão desde relatos objetivos que permitem desnudar graves realidades, como o trabalho escravo, até mergulhos pessoais no imaginário e no onírico, passando por uma gama de registros documentais (inclusive sobre o vento), ficção científica e animações. Este rico e multifacetado conjunto de títulos oferecidos pela Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental integra-se à demanda do público brasileiro por criações audiovisuais sobre nossos países vizinhos, seja em festivais e mostras, ou até mesmo na grade de programação televisiva. Neste cenário, a presente Competição Latino-Americana ocupa espaço privilegiado. Programa curtas, médias e longas-metragens de excelência e, por meio deles, promove debates marcados pela importância e pela urgência.

Advertisements