“Direito à Cidade” é o tema do debate desta quarta-feira

Cinco filmes sobre Cidades são exibidos no Reserva Cultural, três deles sobre a China

A acelerada urbanização do mundo tem importantes implicações no desenvolvimento humano, desde a assimilação dos migrantes até o acirramento da especulação imobiliária. “Direito à Cidade” é o tema do debate que a Mostra Ecofalante promove nesta quarta-feira, 7 de junho, as 20h30, no Cine Reserva Cultural. Durante a tarde e a noite, serão exibidos cinco filmes que abordam essa complexidade de diferentes pontos de vista – três deles sobre a intensa urbanização da China. Outros eixos temáticos da Mostra Contemporânea Internacional, a Competição Latino-Americana e o Concurso Curta Ecofalante também têm atrações em diversas salas da cidade. 

Todas as informações sobre os filmes, salas, datas e horários podem ser facilmente conferidas na página www.ecofalante.org.br/mostra.

 

CIDADES EM DEBATE

O Cine Reserva Cultural, Av. Paulista, 900, é sede das sessões de filmes e dos debates relacionados aos eixos temáticos em que está dividida a Mostra Contemporânea Internacional.

  • Direito à Cidade é o tema que vai ser debatido a partir de 20h30 desta quarta-feira. São debatedores a professora Vera Telles, coordenadora da linha de pesquisa Cidade e Trabalho no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da USP; o padre Júlio Lancellotti, que atua junto a imigrantes, menores infratores, detentos em liberdade assistida, pacientes com HIV/Aids, populações de baixa renda e em situação de rua; o professor Pedro Jacobi, coordenador do Grupo de Estudos Meio Ambiente e Sociedade do Instituto de Estudos Avançados da USP; e José Marcelo Zacchi, diretor executivo da Associação Casa Fluminense, e secretário-geral do Gife – Grupo de Institutos e Fundações de Empresas. A mediação será do jornalista Silvio Caccia Bava, diretor do Le Monde Diplomatique Brasil.
  • Na sessão das 19h, antes do debate, são exibidos o curta-metragem Champ des Possibles, sobre a cidade como prisão, e o longa Frágil Equilíbrio, um retrato de três realidades entrelaçadas a partir de uma entrevista com o ex-presidente uruguaio Pepe Mujica: a de migrantes africanos rumo à Europa, a expulsão de moradores espanhóis pela especulação imobiliária e o esgotamento de executivos japoneses pelo trabalho.

  • Outro filme sobre a urbanização na China é a atração das 17h. Império da Fantasia, INÉDITO NO BRASIL, tem como personagem principal Yana, que abre uma empresa de “figurantes estrangeiros” para estimular a venda de novos empreendimentos imobiliários: em dias de visita eles são usados num esforço surreal para sugerir que a megalópole Chongqing é uma desejada “cidade global”.
  • Depois do debate, às 22h, é a vez de Minha Terra, que mostra o esforço da família do migrante rural Chen para resistir à especulação imobiliária nos arredores de Pequim.

 

MAIS MOSTRA CONTEMPORÂNEA

Três outros eixos temáticos da Mostra Contemporânea Internacional terão sessões na Sala Lima Barreto do Circuito SpCine Centro Cultural São Paulo e no Circuito Spcine Olido.

  • 17h, Circuito Spcine Olido — Até o fim da Terra, do eixo “Contaminação”, tem participações de personalidades como Naomi Klein, escritora e ativista canadense, autora de “No Logo”. Mostra que, com a redução da produção convencional de petróleo, ocorre a expansão de formas de extração de energia mais perigosos, que consomem muito mais energia do que pensamos – a exemplo do fracking. INÉDITO NO BRASIL.
  • 18h, Sala Lima Barreto — O Rio Jarcom, também do eixo “Cotaminação”, acompanha a história do famoso rio desde os dias de glória, quando judeus e árabes compartilhavam seus recursos; até a deterioração, quando ganhou fama como o rio mais poluído e perigoso de Israel, e as tentativas atuais de recuperação. INÉDITO NO BRASIL.
  • 19h, Circuito Spcine Olido — Sessão dupla também sobre “Contaminação”. O curta (10 min) de animação Zona Proibida narra o cotidiano do último homem que permaneceu na zona interditada após o acidente da usina nuclear de Fukushima, no Japão. é seguido pelo documentário Terra Abandonada, que acompanha o cotidiano de pessoas que retornam à região do acidente no momento em que as obras de “descontaminação” parecem insuficientes, dada a escala do desastre tanto no plano humano quanto no ambiental. INÉDITOS NO BRASIL.
  • 20h, Sala Lima Barreto — Insetos! Uma Aventura Gastronômica, do eixo temático “Alimentação & Gastronomia”, acompanha uma equipe de jovens chefes e pesquisadores em viagem pelo mundo para entender esse hábito com alguns dos dois bilhões de pessoas que já comem insetos.

A programação completa, incluindo outras salas, está em www.ecofalante.org.br/mostra.

A 6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental é uma realização da ONG Ecofalante, do Ministério da Cultura, do Governo Federal e da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo. É uma correalização da Spcine e da Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Paulo. Tem patrocínio da Sabesp e da Pepsico, com apoio da Goodyear, White Martins, Guarani – Mais que açúcar e do Instituto Clima e Sociedade. É possível graças à Lei de Incentivo à Cultura e ao Programa de Apoio à Cultura (ProAC).

O evento conta com o apoio institucional da Carbon Disclosure Program – CDP, Catraca Livre, Centro Brasil no Clima, ClimaInfo, Conexão Planeta, eCycle, Engajamundo, Fábricas de Cultura – Poiésis e Catavento, Governos Locais pela Sustentabilidade – ICLEI, GreenMe, Grupo de Institutos e Fundações de Empresas – GIFE, Horizonte Educação e Comunicação, Instituto Akatu, Instituto de Energia e Ambiente – IEE/USP, Instituto Democracia e Sustentabilidade – IDS, Instituto Envolverde, Instituto Socioambiental – ISA, Le Monde Diplomatique Brasil,  Observatório do Clima, Rede Nossa São Paulo, Revista Piauí, SOS Mata Atlântica, Uma Gota no Oceano, Videocamp, Viração Comunicação.

Advertisements