Polêmica do uso do amianto é tema de filme da Mostra Ecofalante na Virada Sustentável

“Não Respire –Contém Amianto” será exibido no sábado (26), no Auditório do Ibirapuera; o tema foi pauta de duas votações no STF nesta semana

O Supremo Tribunal Federal (STF) discutiu nesta quinta-feira (24) duas leis que regulam o uso do amianto do tipo crisotila, fibra utilizada em materiais de construção e já banida em cerca de 70 países pelos riscos que apresenta à saúde humana. A Lei 12.684/2007, do Estado de São Paulo, que proíbe o uso de qualquer variedade do amianto, foi mantida pela maioria de oito votos a dois.

A regulação no resto do Brasil ainda está incerta. A Lei Federal 9.055/1995, que permite seu uso, foi julgada inconstitucional, mas a decisão não significa que a comercialização do material esteja proibida em todo o país. O impasse só será resolvido após novos julgamentos, sem data marcada.

As ações julgadas pela Corte foram propostas pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria (CNTI) e pedem a manutenção do uso do material, alegando que os trabalhadores não têm contato com o pó do amianto. O documentário “Não Respire – Contém Amianto”, vencedor do prêmio de público na Competição Latino-Americana da 6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, mostra uma realidade diferente.

O filme investiga o lobby feito pela indústria deste minério, por meio de doações para campanhas políticas, financiamentos a pesquisas acadêmicas e investimentos em marketing. Registra falhas na segurança dos trabalhadores e ouve cientistas e médicos que defendem, assim como a Organização Mundial de Saúde, que não há limite seguro de exposição ao amianto.

De acordo com os relatos científicos, a inalação do pó do amianto pode provocar o câncer de pulmão e a asbestose, uma doença que causa falta de ar e pode levar a problemas respiratórios mais graves.

“Não Respire – Contém Amianto” será exibido gratuitamente neste sábado, às 16h, no Auditório do Ibirapuera, como parte da programação da Mostra Ecofalante na Virada Sustentável de São Paulo.

 

/com informações de André Richter, da Agência Brasil

Advertisements